Você pode realizar a laserterapia uma vez diagnosticado, seja pela colpocitologia confirmada com a biopsia, colposcopia, ou captura híbrida. Logo após a realização você receberá um relatório para informação do seu médico.

Serão realizadas previamente videocolposcopia com documentação em videoprinter (foto) e uma revisão com 60 dias com nova documentação em videocolposcopia e printer.

Transmissão perinatal do papilomavírus em neonatos: relação entre taxa de infecção e tipo de parto.

As diversas maneiras de transmissão do hpv como a perinatal indicam altas taxas de infeção vertical oscilando entre 55% a 73%. Até o momento não se conhece as formas em que esta transmissão ocorre como se conhece bem nas transmissões de HIV, hepatite B e herpes simples.

Este estudo avalia recém nascidos de mãe infectadas com hpv em 301 gestantes com hpv 16-18, as mães foram verificadas com coleta de material cervical vaginal e dos recém natos de mucosas oral e genital. Um grupo controle de mulheres sem infeção 30 serviu como controle. Gestantes contaminadas 22,6% total de 68/301, sendo 35 parto vaginal e 33 parto cesário. Das pacientes parto vaginal 27/35 apresentavam dna hpv 16 e 2/35, dna hpv 18 e 6/35 de ambos os tipos.

Das pacientes de parto cesário, 26/33 tinha dna hpv tipo 16 e 2/33 dna hpv tipo 18 e 5/33 ambos os tipos. As taxas de transmissão do hpv 16/18 ao nascimento foi de 39,7% 27/68, independente da via de parto. Dentre os 27 neonatos hpv +, 18 nasceram de parto vaginal e 9 nasceram de parto cesário. Não havendo significância na incidência de infeção perinatal pelo hpv nos tipos 16- 18.

Em relação aos locais de coleta positiva 39,7% dos recém-nascidos hpv +, foram da mucosa oral e 30,9% da mucosa genital. Das paciente de grupo controle nenhum recém nato foi verificado a presença de dna hpv. A transmissão do hpv pode ocorrer intrauterina, perinatal e pós natal.

Algumas descrições de papilomase laringea juvenil, condiloma acuminato congênito, presença de dna hpv em pele, cavidade oral em recém natos de parto cesário sugerem que a infeção do hpv pode ocorrer pôr via transplacentária. Portanto, a cesárea não é medida de prevenção da infeção do hpv.

Este estudo continua em andamento para verificar a persistência do hpv pôr 6 meses ou anualmente. Se houver persistência será aconselhável uma imunização por hpv como estratégia preventiva.

tseg c j, liang cc, soong yk pao cc obstet gynecol. 1998 ; 91 :92-9

NADA SUBSTITUI A CONSULTA COM SEU MÉDICO