Chamamos de ciclo menstrual o período que vai de uma menstruação a outra. Este período pode variar de mulher para mulher e, inclusive na mesma mulher.

Muitas mulheres acham que devem menstruar no mesmo dia do mês para serem consideradas regular, o que não é correto, pois o útero não conhece calendário.

Consideramos regulares os ciclos que têm a mesma duração com frequência semelhante na mulher, por exemplo uma mulher que menstrua de 22/22 dias é regular, outra menstrua de 38/38 dias também é regular. Nestes dois casos a menstruação começará uma semana antes e no outro caso uma semana depois e nem por isso são irregulares.

Quando a mulher faz suas anotações, o médico ginecologista pode ajudá-la a compreender as características do seu ciclo. Quando ocorre a primeira menstruação chamamos de menarca, logo após, por meses e as vezes até dois anos não devemos esperar ciclos regulares em adolescentes, pois o ovário quando inicia suas funções o faz de maneira incompleta, vindo atuar em sua total integridade após um período que pode ser de até 2 anos. Por isso, não se deve tratar ciclos irregulares em adolescentes que acabaram de menstruar pela primeira vez.

Os ciclos podem ser curtos, frequentes ou longos e não devem ser tratados a não ser que o período se estenda além de 38 dias ou menos de 22 dias. A duração do fluxo da menstruação é variável podendo ir de 2 até 6 dias. Fluxo superior a estes dias merece investigação, lembrando que distúrbios hormonais, presença de Diu, alguns miomas uterinos podem determinar fluxo prolongado. Juntamente com a menstruação acompanha um cortejo muito diversificado de sintomas, como dores nas mamas com aumento de volume em algumas mulheres, acne, ou seja, espinhas, cólicas, que conhecemos como dismenorreia que podem ser pré-menstruais ou menstruais. Com uma série de causas, para cada uma é necessário tratamento específico.

A mulher no período menstrual perde cerca de 150 ml de sangue, aproximadamente 3 a 4 absorventes por dia, o que não compromete o estado de saúde da mulher. Na gravidez não ocorre menstruação. Portanto, todo sangramento na gravidez tem um sinal importante para o médico avaliar, mas nunca será menstruação. No período de aleitamento natural, o fato da mulher, em cerca de 70% não menstruar, não significa que não engravide. No período da menstruação existe uma série de conceitos revestidos com muita superstição. Por exemplo, mulher menstruada não pode tomar banho de chuveiro, não pode lavar a cabeça que o sangue vai para a cabeça, que dor de cabeça é que a menstruação subiu à cabeça. Tudo isto e muito mais, nada é verdadeiro.

A higiene da mulher neste período deve ser maior, a lavagem do órgão genital mais frequente, pois o sangue acumulado na vagina em contato com o ar elimina um odor e a falta de higiene neste período aumenta os riscos de infecção vulvo-vaginal. Com relação aos exercícios, muitas mulheres deixam de fazer ginástica nestes dias, mas, ao contrário deveriam praticar, pois o exercício físico alivia as cólicas e dores nos membros inferiores. Muitas atletas jogam normalmente neste período. Recomenda-se neste período dieta com pouco sal, pois ocorrendo retenção de líquidos pode haver aumento das mamas e do abdômen. Esta dieta deve ser iniciada alguns dias antes de iniciar o fluxo.

Sobre higiene devemos lembrar que na época menstrual a vagina fica menos ácida o que facilita o crescimento de germes. Algumas mulheres relatam que as vezes percebem uma pele que acompanha o fluxo, a menstruação é a descamação do epitélio interno do útero, ou seja, o endométrio que se descama e com isto o sangramento as vezes vem com estes fragmentos de tecidos. Nada para se alarmar. Pelo exposto, toda mulher deve conhecer e saber qual o seu ciclo e fazer anotações mensais dos dias que chegam e quantos duram. Isto vai ajudar o médico a orientá-la para programar gravidez ou como evitá-la.

NADA SUBSTITUI A CONSULTA COM SEU MÉDICO